05 outubro 2016

LARANJEIRAS DO SUL-PR: TRAIRAGEM TEM PREÇO E CONSEQUÊNCIA.

Laranjeiras do Sul-PR
Quarta-feira 5 de outubro 2016 - 17h 53 min.
www.orobocabraba.blogspot.com
Chico Preto

A bem da verdade, cabe a nós analisarmos de forma técnica e sem resquícios de paixão política e/ou vínculos partidários.

Não fosse uma "autoridade" do município de Laranjeiras do Sul, ter sido surpreendido pelas palavras de uma senhora benzedeira, curandeira e vidente de base, com mais de cem anos de idade, que afirmou ter recebido do dito figurão, um pedido muito especial de rezas e trabalhos sobrenaturais para que o candidato do 20 vencesse as eleições. Pois segundo ela, só a vitória do Malazarte   garantir-lhes-ia sua permanência e o consequente emprego na prefeitura;

Não fosse a prefeita da cidade num canetaço irregular e autoritário, determinar o cancelamento das gratificações do funcionalismo municipal, de forma arbitrária e voraz, impondo aos funcionários do município prejuízos enormes em seus pagamentos, por conta sabe-se lá por que?;

Pelo que nos consta, tais gratificações já haviam sido conquistadas pelo funcionalismo, portanto jamais poderiam ser cortadas. Aliás, isso não foi um corte nas gratificações, foi um cancelamento dos direitos a receberem gratificações que já haviam sido a eles credenciadas, esta atitude, associada a habilidade do Malazarte em vincular a administração com seu adversário, foi absolutamente decisivo para o resultado final da eleição.

Ou seja, não fosse a administração municipal estar comprometida com alas eleitoreiras, sobrecarregada pelo peso de condenações em primeira instância por improbidade administrativa na Comarca local;

Não fosse a administração municipal, o manômetro de oxigênio que abasteceu de forma abundante a respiração e consequente sobrevivência político/eleitoral do Malazarte, estaria ele hoje prefeito de eleito Laranjeiras do Sul?

Não meus preclaros!
Obviamente que a desinteligência ética, anuviou a visão dos torpes mandatários e os colocou na condição de dependentes das tetas fartas do poder, acelerando a máquina para o lado, que, em tese lhes proporcionaria esta condição.
Benza Deus.

Por Milton Oro