29 agosto 2017

O BRASIL DA SEM-VERGONHICE FINCA O PÉ EM LARANJEIRAS DO SUL-PR

Diante de todos os desmandos, da falta de ética, dos vícios e costumes dos que representam a política do país, o mais assustador é ver inerte o povo. 

Povo que vota, elege, reelege e para piorar, ainda vai votar em Lula e Marina Silva.

Povo que tem responsabilidade direta pela situação calamitosa na qual o país está mergulhado e sem perspectivas de sair do atoleiro tão cedo, e explico por que.

Num país com 100 milhões de eleitores, onde a grande maioria vota mal, em troca de regalias passageiras e favores individuais, muitas vezes por um simples tapinha nas costas em detrimento do coletivo, colocam em xeque a capacidade de reação dos bons e direitos.

E o resultado é o que estamos vendo. Um Brasil falido, na banca rota, afundado em roubalheiras sem precedentes e sem perspectivas de melhoras.

Se por um lado temos meia duzia de gatos pingados tentando impor uma pauta positiva, moralizadora, de resgate da ordem, do civismo, da ética, por outro, vemos uma infinidade de políticos descarados, influenciando eleitores em todas as instâncias.

A diferença entre bons e maus está no número de defensores de cada situação. Ou seja: Para defender o crime e a sem-vergonhice, multidões de picaretas que não tem vergonha em se expor, enquanto as pessoas decentes e honradas, sentem-se encurraladas e com medo de agir em nome da ordem.

Isto nos leva a uma gangorra infernal, visto que o poder emana do povo e para o povo deve ser exercido.

Hoje infelizmente o poder emana dos que gritam mais alto na defesa dos maus, enquanto isso os bons e direitos se calam e acabam por avalizar toda ordem de permissividade.

E os exemplos que deveriam vir de cima, sucumbem às vontades do crime, que por sua vez, impõe suas condições a todo o conjunto da sociedade.

Prova disso, foram os rombos praticados por Lula e Dilma no governo federal, dando exemplos a seguidores famintos por oportunidades de abocanhar o alheio, como fizeram nos governos do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Pernambuco, Goiás, Brasília, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahía, Rio Grande do Sul,...

E aqui no nosso estado do Paraná, onde Beto Richa deu calote em R$ 8 bilhões do Fundo de Previdência dos professores, servindo de "mau" exemplo ao prefeito Berto Silva de Laranjeiras do Sul, este já condenado por improbidade em primeira instância, processado por desvio de combustíveis, declarado inelegível pelo Tribunal de Justiça do Paraná.

Este mesmo Berto Silva, vulgo Malazarte, que em janeiro assumiu pela terceira vez a prefeitura de Laranjeiras do Sul, e até agora não tem uma única obra de vulto na cidade, a não ser a mal fadada compra de um carro de luxo ao custo de quase 200 mil reais.

Este mesmo "Malazarte"  que desconsiderando o momento difícil por que todos passamos, joga no lixo a responsabilidade ética e enterra definitivamente aquilo que deveria ser a coisa mais importante e afortunada na vida de um homem de bem, o caráter e o senso de moralidade. 

Tal situação nos impõe amarras sociais e de desenvolvimento, nos moldes que penalizaram o Paraná e o Brasil, nas catastróficas gestões de Lula, Dilma, Temer, Requião, e mais recentemente Beto Richa, aqui no Paraná.

Portanto caros leitores, se a classe política atualmente, está abaixo de "c" de cachorro, a culpa não é só de políticos como Berto Silva, Beto Richa, Temer e a grande maioria da classe, mas sim do eleitor, que via de regra, troca o voto por algo pessoal e/ou particular. Pensem nisso.

Por Milton Oro


Nenhum comentário:

Postar um comentário