06 novembro 2017

CIDADES BRASILEIRAS VIVEM A MAIS DRAMÁTICA ANOMALIA MORAL DE TODA HISTÓRIA

Em pleno século XXI, as pessoas deveriam valerem-se dos meios diversificados e robustos franqueados pelas tecnologias da informação, do conhecimento, do encurtamento de distâncias, propiciados pelos meios de comunicações, (Internet, Redes Sociais, Nano Tecnologia),  etc.


Deveriam se utilizar de tais meios visando construir estruturas e desenvolver projetos de cunho social, envolvendo a grande massa, chamando a atenção das pessoas  para o que é certo e direito.

Mas ao invés disso, infelizmente o que vemos é uma verdadeira aberração se propagar pelas cidades brasileiras, onde "lideranças" pregam o atraso, se reúnem com ladrões, fomentam o crime, fazem parcerias com a imoralidade e escandalizam o mundo ao se utilizarem destes meios para propagar a chamada cultura moderna.

Em nome da cultura, do desenvolvimento, das igualdades sociais, pregam a ideologia de gênero, defendem o fim da criminalização da maconha, chamam a atenção para garantir direitos a vândalos, black boys, menores infratores e toda a ordem de falcatruas e crimes que infernizam a vida da sociedade de bem, agindo aleatoriamente, sem saber muitas vezes o por que, e/ou na maioria das vezes simplesmente por terem perdido o poder que ostentavam.

É chocante ver lideranças nas nossas cidades comandar grupos,  praticando a política do toma lá da cá, se vingando de adversários, praticando crimes contra o erário em larga escala e sem punição, reunindo-se em instituições públicas, endeusando bandidos da política nacional, como ocorreu ontem numa instituição federal na cidade de Laranjeiras do Sul, debaixo do nosso nariz, "lideranças" locais receberam deputado federal corrupto e filho do maior ladrão da história da república.


E para piorar ainda mais, a imprensa interesseira, quase sempre perversa e não menos desmoralizada que a classe política, deu total divulgação e publicidade ao acontecido. Lamentável, repugnantemente lamentável. 


Estamos de                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário